Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Uma história ainda sem título (parte7)

por Elisabete Pereira, em 23.06.18

Capitulo 7

 

Lucy 

 

Algures durante o meu sonho sinto uma enorme falta de ar, e quando acordo, noto que não é um sonho, mas que alguém aperta o meu pescoço com muita força , sinto as mãos da pessoa a estrangularem cada vez mais, tento em vão gritar, mas não sai nenhum som, debato-me contra quem me está a atacar, mas é mais forte do que eu , é impossivel soltar-me, nesse momento penso que vou morrer, não tenho hipóteses, acabo por perder os sentidos pouco depois de ouvir alguém a gritar algo, e de repente tudo ficou negro. Oiço alguém a chamar ao longe pelo meu nome, será um sonho? Será que morri? Abro os olhos lentamente e dou de caras com o do principe Peter a olhar para mim, parece preocupado, o que me deixou algo surpreendida:

-Está tudo bem consigo? Quer ir até á enfermaria? -diz ele enquanto me observa com cuidado, nesse momento noto que estou ao colo dele, o que me faz corar- Se quiser eu levo-a até lá.

-Hum...eu, acho que ...- digo, antes de ver que atrás do principe, três seguranças agarravam firmemente o principe Noah que se debatia furiosamente. - Não é necessário, estou bem.

-Tem a certeza?! Deveria pelo menos ser observada por um médico, eu chamo o medico do palácio para a atender aqui se quiser, o Dr Simons pode observa-la...

-Não é preciso,eu estou bem.

Durante uns segundos o principe observa-me sem dizer nada, de seguida coloca-me na minha cama, e fica ao meu lado, de repente um dos seguranças chama por ele:

-Alteza, o principe Noah já acalmou, quer que o levemos para o aposento dele?

-Sim, e certifiquem-se de que desta vez o quarto fica devidamente trancado.

-Sim senhor.-respondeu o segurança e rapidamente pega no principe Noah ao colo, que agora estava completamente quieto, e leva-o para fora do meu quarto, os outros dois seguranças vão tambem embora de seguida.

-Peço imensa desculpa por isto...o meu irmão...ele não é mau, só que...

-Ia-me matando!!!-  digo recuperando o meu mau humor- peço imensa desculpa, mas o seu irmão é um perigo ambulante!

-Tem toda a razão, e tem todos os motivos para estar zangada, mas infelizmente houve uma falha de segurança...

-Outra falha em menos de 24 horas! Acho que precisa de repensar os procedimentos de segurança do seu irmão, porque obviamente não estão a funcionar!

-Eu entendo a sua revolta, mas não precisa de ser desagradável! 

-Desagradável?! Eu tive alguém no meu quarto a tentar matar-me!

-Desculpe, mas isso não teria acontecido se tivesse trancado o seu quarto, a porta estava praticamente escancarada e ele entrou, a sua sorte é que eu o vi a seguir por este corredor... - e olhando á sua volta, perguntou perplexo -Onde está a sua criada?

-Dispensei-a - respondi sem rodeios  - Em casa sempre me vesti sozinha, não preciso de Amas para tratarem de mim.

-Eu vi logo - ele diz enquanto passa a mão pelo cabelo - as criadas sabem que devem manter as portas sempre trancadas, e que devem dormir no quarto da candidata em questão, elas têm inclusive formação em defesa pessoal, e você acabou por se expôr demais, não estou a tirar as culpas do sucedido, mas você também facilitou...foi muita imprudência da sua parte, poderia ter ocorrido uma tragédia.

Honestamente, já não me estava a agradar o rumo que a conversa estava a seguir, parecia que ele me estava a querer dar um sermão, e por isso decidi pôr um ponto final no assunto:

-Muito bem, se é tudo pode sair, não estou para sermões.

-Está a expulsar-me de uma divisão da minha casa?

-Pode ser a sua casa, mas de momento este é o meu quarto e tenho direito á minha privacidade, portanto, peço-lhe educadamente para que saia.

-Se é o que quer - diz ele encolhendo os ombros e levantando-se rapidamente do meu lado, parecia ter ficado magoado, mas acho que é só impressão minha- Não a incomodo mais.

Assim que ele saiu levantei-me da cama e fui até ao espelho da cômoda e vejo as marcas no meu pescoço a adquirirem aos poucos um tom arroxeado, duvido que desapareçam rapidamente e por isso amanhã terei de vestir algo que tape os vestigios do que aconteceu á pouco, vou até ao meu roupeiro ver se encontro algo do género, mas sem sucesso, todos os meus vestidos são têm algum yipo de decote, nenhum tapa o pescoço, a dada altura oiço um bater á porta do meu quarto, meia apreensiva autorizo a pessoa a entrar, Claire surge no meu quarto de forma quase silenciosa e vem ter comigo dizendo:

-O principe Peter pediu para que eu viesse e...-ela interrompe o seu discurso quando vê o meu pescoço e coloca as mãos na boca em sinal de choque, mas logo se recompõe -Temos de ocultar isso, ou vai haver demasiadas perguntas.

-Já tentei ver se arranjava algo que possa esconder isto, e não encontro um vestido que me tape o pescoço.

-Não precisa ser um vestido, basta um lenço ou echarpe... - mas ao ver que eu torcia o nariz parente estas sugestões , emendou - ...ou basta colocar um pouco de maquilhagem que disfarça perfeitamente.

-É uma boa ideia, embora eu não perceba nada de maquilhagem.

-Mas percebou eu, se a menina não se importar eu trato disso.

-Não me importo nada, até agradeço.

Ela sorriu e pegou em vários frascos que estavam na minha cômoda e que eu nunca havia usado, e começou a tapar as marcas no meu pescoço, passado menos de cinco minutos finalizou o trabalho e quando voltei a encarar o espelho as marcas tinham sumido.

-Amanhã posso fazer o mesmo, até porque me parece que os hematomas vão demorar um pouco a desaparecer.

-Obrigada - digo com um sorriso- desculpa por aquilo de ontem.

-Tudo bem - respondeu ela enquanto procurava algo na minha cômoda - mas já agora, se me permite o reparo, tenho notado que o seu cabelo está um bocado estragado, e precisa de ser cortado.

-Hã?!- Seguro na minha enorme trança e olho para as pontas, mentalmente concordo com ela, parte do cabelo está bastante estragado- Bem...talvez precise de uma aparadela.

-Aparadela? - diz ela olhando para mim e franzindo a testa - no minimo precisa de ser cortado pela metade, mas se quer a minha opinião seria melhor cortar pelo pescoço, dava-lhe um ar menos pesado e mais jovem.

-E sabes cortar cabelos?- digo receosa enquanto a vejo a pegar numa tesoura e numa escova- é que não me apetece ficar com um desastre capilar neste momento.

-Claro que sei!!- diz ela depois de colocar uma toalha á minha volta de modo a impedir que os cabelos cortados caiam na minha roupa e desfazendo a seguir a minha trança- eu cortava o cabelo dos meus irmãos muitas vezes.

-Ah... sendo assim...- mas mesmo assim não estou muito confiante do resultado e por isso fecho os olhos - faz a tua magia.

À minha volta oiço o som metálico da tesoura, Claire inicialmente dá cortes mais vigorosos e rápidos, mas depois os cortes tornam-se mais lentos e precisos, até que por fim declara triunfante:

-Terminei!

Abro os olhos e lentamente espreito o meu reflexo, antes de abrir a minha boca de espanto, eu não me lembro de me ver com o cabelo tão curto, as pontas perfeitamente cortadas dançam no meu pescoço enquanto mexo a cabeça, o cabelo foi cortado em camadas o que o tornou bastante mais leve, pareço outra pessoa.

-E então? - pergunta ela na expectativa da minha reação - Gostou do resultado?

-Sim, muito. - respondo enquanto me levanto e tiro a toalha -Já valeu a pena ter vindo para cá, nem que seja apenas por causa do cabelo.

Ambas rimos , e por fim ajudei-a a varrer os cabelos do chão, embora ela tivessa protestado um pouco.

 Então lembrei-me de lhe perguntar:

-Claire, tu sabes quem me fez isto, não é verdade?

Ela não responde, apenas baixa o olhar e continua a varrer, o que me leva a crer que sabe perfeitamente.

-As outras criadas também...

-Todas, menina. - ela interrompe-me a pergunta - Todas sabem sobre a condição do príncipe Noah.

Terminamos o resto da tarefa em silêncio, e no final ela ajudou-me a trocar de roupa para me deitar. Mas os meus pensamentos não me queriam deixar dormir, imagino a quantidade de segredos que as criadas ocultam, e sinto uma imensa pena por elas, autênticos seres invisiveis, que são obrigadas a esconder coisas que não lhes pertencem.

 

****************

 

A manhã do dia seguinte trouxe uma surpresa, o principe Peter surgiu no salão de refeições enquanto tomavamos o pequeno almoço, o que fez com que algumas raparigas soltassem gritinhos de excitação, foi uma visita rápida e sem grande história, mas que serviu para acalmar os ânimos:

-Senhoras, podem continuar a tomar o pequeno-almoço á vontade, vim apenas dar-vos as boas vindas ao Palácio, e desejar que a vossa estadia seja o mais agradável possivel- ele olha brevemente para mim, mas eu prefiro concentra-me nos meus cereais- e pedir desculpa por não ter aparecido mais cedo, não é de bom tom deixar tão distintas damas sem nenhum dos anfitriões darem as boas vindas, espero que perdoem esta falha.

Todas as raparigas batem palmas,mas eu prefiro manter-me na minha, e por fim o principe retira-se

-Oh, ele é tão lindo, e um verdadeiro cavalheiro- responde uma rapariga próxima de mim chamada Kate - Acho que estou apaixonada.

As outras raparigas á sua volta concordam com ela, e rapidamente um burburinho de vozes discute alegremente a súbita aparição do principe, aproveito essa altura para pegar numas quantas torradas, embrulho-as num guardanapo e dirijo-me ao quarto de Violett, bato á porta, e a criada dela abre uma fresta da porta para ver quem é, rapidamente ela indica-me para entrar, e vejo Violett dar os últimos retoques num vestido colocado num manequim.

-O que achas? -pergunta ela aproximando-se de mim - não está um pouco exagerado?

-É o vestido para a cerimónia de recepção?

-Não, esse está bem guardado até porque ainda preciso de melhorar umas coisas, este é um vestido menos formal e mais leve, é mais para ser usado num dia de Verão, o vestido da cerimónia apenas vais ver no próprio dia, vais ver, mas posso adiantar que me esmerei bastante.

Aproximo-me do manequim e observo com maior atenção o vestido lilás, desde o decote em barco, ás mangas curtas, é um vestido não muito comprido e bastante simples, mas não deixa de ser elegante.

-Está óptimo! - e nisto entrego-lhe as torradas no guardanapo- Vê se comes alguma coisa antes da aula.

-Obrigada.- diz ela enquanto come as torradas alegremente- Ás vezes fico tão absorta no trabalho que esqueço-me de comer.

 

*********

 

O dia da cerimónia chegou a correr, nunca me senti tão nervosa na vida, saber que vou aparecer perante o o reino inteiro deixa-me agoniada, o palácio está em polvorosa, as pessoas correm de um lado para o outro para deixar as coisas prontas para a emissão em directo.

A noite chega rapidamente, e as candidatas estão reunidas numa sala lateral, só iremos aparecer após o discurso da rainha que na ausência do rei , é agora a regente do reino, na sala existe uma televisão onde poderemos ver o discurso da rainha, o burburinho termina quando a televisão exibe a bandeira de Eran, e logo após surge a rainha em grande plano, e os filhos logo ao lado dela. Verdade seja dita, ela está magnifica, foi mestre em conseguir um figurino que demonstra força, poder e elegância ao mesmo tempo, o vestido comprido e escuro dá-lhe um ar sofisticado, o cabelo está preso num coque, o que dá maior destaque á sua coroa, o seu semblante é serio, mas não retira a sua beleza, e rapidamente inicia o seu discurso:

fashion-model-1769168_1920.jpg

 

-Povo de Eran, recentemente sofremos um duro golpe na nossa essência, o nosso amado rei foi vitima de um vil golpe de traição, mas alegra-me poder dar-vos a notícia de que o rei se encontra livre de perigo e que brevemente irá voltar a reunir-se com o seu povo. - Há de imediato, um aplauso geral na sala onde nos encontramos , uma ou duas raparigas inclusive têm os olhos marejados de lágrimas - Mas até lá, eu irei dar o melhor de mim, para poder continuar com a harmonia do nosso reino. Além disso, devido a circunstâncias inesperadas, iniciamos um novo rumo, e por isso novas convidadas habitam o palácio por estes dias, uma delas será um dia rainha de Eran, e por isso desejo de todo o coração a todas elas o melhor e que possam desfrutar de uma experiência única na vida delas, resta-me como rainha, mas sobretudo como mãe, apoiar o meu filho na sua decisão.

Ela troca um breve olhar para com o seu filho mais velho e sorri levemente e este, por sua vez, retribui o gesto com um educado acenar de cabeça, então, nesse momento ele surge ao lado da mãe, noto que o principe usa um traje cerimonial semelhante ás altas patentes do exercito do nosso reino, com várias medalhas ao peito, duvido que ele alguma vez tenha estado na frente de batalha e essa constatação faz-me sentir mais irritada com ele. Tracy e Andrea, os apresentadores mais famosos de Eran, surgem no ecrã da televisão, usando roupas a combinar, de um tecido tão brilhante que parecem transportar o sol.

-Que discurso tão comovente vossa majestade! - diz Andrea enquanto faz uma pequena reverência á rainha - tenho a certeza de que todos estão unidos em desejar as rápidas melhoras do nosso amado rei.

-É verdade Andrea, todos estamos unidos neste momento tão dificil- responde Tracy- mas não podemos esquecer o motivo que nos trouxe hoje aqui, dentro de momentos surgirá por aquela porta, trinta escolhidas do nosso reino e que uma delas será a futura esposa do principe herdeiro e futura rainha. Trinta filhas de Eran foram escolhidas para a difícil tarefa de ser a escolhida do principe e nós vamos acompanhar todo o processo. E sem mais demoras, que entrem as candidatas. 

Entramos no salão principal em fila e ficamos de frente para as câmaras, Andrea de microfone em punho perguntou a todas nós o nosso nome e a região de onde vinhamos. No fim Tracy entregou o microfone ao principe e este iniciou um pequeno discurso:

- Antes de mais, gostaria de agradecer a todas as jovens aqui presentes por confiarem o seu destino numa causa tão nobre, e por permitirem a oportunidade de as pessoas de Eran poderem acompanhar a sua vida no palácio. Prometo que a seleção correrá da melhor forma e que as que ficarem pelo caminho não ficarão desamparadas. Desejo a todas o melhor, e que prometo perante o reino inteiro, respeitar todas as candidatas e a sua vontade.

Há um aplauso geral, e mais uma vez, noto o principe Peter olhar para mim, mas, mais uma vez, decido manter a minha atenção a ajeitar o vestido.

Tracy e Andrea aproveitam para fazer perguntas aleatórias ás candidatas,e a dada altura, Tracy para á minha frente e exclama :

- Lindo vestido, não sabia que as costureiras do palácio eram tão prendadas!- depois ele pega gentilmente na minha mão e me conduz para fora da fila - este vestido merece um destaque especial, é no mínimo magnífico, não se importa de dar uma voltinha?

Bastante envergonhada, dou uma volta sobre mim mesma, mas ele tem razão, Violett esmerou-se no vestido, é um vestido azul escuro comprido, com pequenas pedras incrustradas, o que lhe confere o aspecto de uma noite estrelada, o decote em coração realça o meu busto, além disso o próprio vestido dá-me um porte diferente, mas o facto de ter o cabelo mais curto e joias a ornamentar o meu pescoço também ajuda.

-Na verdade foi Violett quem o fez- digo enquanto aponto para ela- É uma das candidatas e um verdadeiro talento.

-Sem dúvida!- diz Andrea, dando agora atenção para Violett- Posso lhe perguntar porque preferiu fazer um vestido para outra candidata e não para si?

-Lucy tem uma figura mais elegante do que a minha- diz ela num completo á vontade para com Andrea- Se eu usasse aquele vestido o resultado não seria o mesmo, não iria conseguir realçar o vestido como gostaria, além disso eu gosto de ver os outros a usarem as minhas peças.

- Mas não se preocupa de que isso possa retirar a atenção do principe de si?

- Não me parece que seja um vestido a tirar a atenção do principe, até porque não acredito que ele seja superficial a esse ponto. - Diz ela piscando o olho a Andrea - Mas já que gostou tanto do vestido, se quiser eu propria lhe faço um semelhante aquele.

- Quem sabe um dia.- respondeu ela sorrindo - Podemos neste momento estar perante uma futura estilista de renome, ou rainha de Eran, só o futuro o poderá dizer, mas de qualquer forma julgo que ainda iremos ouvir falar bastante desta jovem, parabéns pelo seu talento.

Tracy então aproveita para terminar o programa :

-E assim terminamos por hoje a nossa emissão, esperemos que tenham gostado. Amanhã voltaremos com novos desenvolvimentos e novidades sobre a seleção - e piscando o olho para a câmara, acrescenta- Não deixem de acompanhar o nosso programa, uma boa noite, e até amanhã!

Mal as câmaras se desligaram, a familia real desapareceu de vista, e nós decidimos fazer o mesmo. Respiro de alivio, consegui sobreviver a esta noite, agora só falta sobreviver ao resto que vier.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:18



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D