Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



church-of-the-king-635797-unsplash.jpg

 

"Uma princesa não fuma" é a mais recente curta-metragem direccionada ao combate e sensibilização do uso do tabaco, basicamente vamos vendo ao longo do enredo a interacção de uma mãe fumadora e da sua filha ainda uma criança que como muitas meninas da sua idade tende a imitar o comportamento da mãe nomeadamente no uso do cigarro, a mãe, mesmo depois de ser diagnósticada com cancro do pulmão, não consegue deixar de fumar, e é quando já num estado muito avançado da doença vê a menina num gesto em que faz de conta que fuma, a mãe percebe que precisa de fazer alguma coisa para evitar que a filha seja uma futura fumadora...e claro está, isto tinha que dar polémica, mas não pelo mais evidente, (mostrar a crueza de um cancro terminal, por exemplo, que poderia ser chocante de mostrar na televisão, e ser visto por crianças) mas porque algumas vozes (mulheres sobretudo) se levantaram contra esta campanha, de que isto era reduzir a mulher a um estereótipo ultrapassado em que a mulher é vista apenas como mãe e princesa...a sério?!  Eu até entendo que haja quem não se reveja na curta metragem, ou até que não goste de todo, mas chegar ao ponto de querer que se retire a campanha e que uma plataforma feminista apresente queixa contra a campanha, é esticar um pouco a corda, é no fundo demonstrar o preconceito que ironicamente costumam criticar nos outros, porque é um apontar de dedo a todas as mulheres que optaram por serem mães a tempo inteiro, em vez da carreira; é acreditar que as princesas são seres frágeis e que precisam de ser protegidas, até a Disney começou a mudar os conceitos de princesas nos últimos filmes animados. Uma mulher não deixa de ser forte e corajosa, nem de perder a sua identidade por ser mãe e/ou princesa, por isso bora lá desempoeirar essas mentes, até porque isto infelizmente, no fundo não passa do clássico "mulheres a criticar outras mulheres", curioso não?! Algumas feministas precisam de rever a palavra "Sororidade", que é só e apenas um dos pilares do feminismo. Lamento é que no meio de isto tudo, se tenha perdido a verdadeira mensagem que esta curta-metragem queria passar.

E eu que até nunca fui muito fã de princesas quando era criança, não me importava de ser como a princesa Mérida do filme "Brave". 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:23



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D