Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A princesa da torre

por Elisabete Pereira, em 15.03.18

artflow_201803151131_2.png

Era uma vez um rei e uma rainha que não tinham filhos, e como estavam tristes por causa disso, decidiram ir á fada verde da grande floresta para que ela os podesse ajudar, a fada ofereceu-lhes uma grande planta, essa planta tinha um grande rebento na ponta e ela disse que aquela flor tinha de ser bem tratada para desabrochar, e que aí o seu pedido iria ser atendido, durante meses assim o fizeram, até que uma bela manhã a flor desabrochou  e lá dentro estava uma bebé pequenina . O rei e a rainha ficaram muito felizes por agora terem uma filha, mas eles tinham medo que fossem fazer mal á princesa e por isso contruiram uma torre no castelo para protegerem a princesa, e assim ela foi crescendo sem nunca sair da torre.

Um dia veio uma nova criada para trabalhar no castelo, essa criada tinha uma filha da idade da princesa, além disso elas era muito parecidas fisicamente uma com a outra, disseram que a menina podia ir brincar em qualquer parte do castelo, menos para a torre onde vivia a princesa, mas a menina era muito curiosa, e uma noite ela foi ás escondidas até á torre, e com um gancho do cabelo destrancou a fechadura da porta, e entrou na torre, onde encontrou a princesa a ler um livro

-O que estás aqui a fazer? - perguntou a princesa surpreendida

-Eu tinha curiosidade em conhecer a princesa, até porque dizem que somos muito parecidas, e eu queria saber se era verdade.

-Mas não podes estar aqui, é proibido.

-Eu sei, mas....eu tinha de vir.

-Como te chamas?artflow_201803151131_0.png

-Sara e o teu?

-Luisa, sou a princesa Luísa 

-Gostas de viver aqui?

-Bem, eu sei que estou aqui para minha segurança, os meus pais têm medo que me aconteça alguma coisa lá fora.

-Deve ser muito solitário viver sozinha nesta torre.

-Sim, mas tenho muitos livros aqui, que me fazem viajar para fora daqui.

-Eu nunca tive livros, eu e a minha mãe somos muito pobres e não temos dinheiro para comprar livros...

-Eu posso emprestar vários livros se quiseres.

-Eu tive uma ideia melhor.

-Qual ideia?

-Já que somos muito parecidas, podiamos trocar de lugar por um dia, e assim tu podias ir lá para fora e eu ficava aqui e poderia ler os livros que eu quisesse. Aceitas?

-Eu aceito, mas temos de combinar bem para ninguém descobrir o nosso segredo.

-Claro, então, fazemos o seguinte, vamos trocar agora de lugares, e amanhã á meia noite voltamos a trocar para o que éramos , mas tens de ter o cuidado de trazer o gancho para abrir a fechadura da porta da torre, senão, não consegues entrar, temos de ter muito cuidado para ninguém descobrir, porque podemos ser castigadas.

E assim as duas trocaram as roupas entre si, a menina virou princesa, e a princesa virou a filha da criada, despediram-se e a princesa lá foi toda contente, até ao quarto onde a menina dormia com a mãe.

De manhã,  no entanto a princesa percebeu algo errado, a mãe da menina estava a arrumar as roupas numa mala.

-O que se passa? -perguntou a princesa.

-Vamos embora, o meu trabalho terminou aqui, vamos regressar a casa.

-Mas não podemos, eu sou a princesa Luísa, temos de ir á torre, porque a sua filha Sara está lá, nós trocamos de lugar a noite passada.

A senhora sorriu e disse:

-Tens de deixar de ter tanta imaginação, vamos embora sim?

Apesar dos protestos da princesa, a senhora não acreditou nela, e pouco tempo depois partiram na carroça em direcção á vila, onde vivia a criada e a filha.

Entretanto á noite a Sara ficou á espera do regresso da princesa, mas esta não voltou como combinado, e ela começou a chorar com saudades da mãe, e com medo de ficar trancada naquela torre para sempre.

Os anos passaram-se, e entretanto cada uma delas habituou-se á sua nova vida, a princesa Luísa tornou-se uma artesã incrível, e os seus tapetes ficaram famosos por toda a região. E um dia foi chamada para aparecer no castelo para vender os seus famosos tapetes.

O rei ficou muito surpreendido com a semelhança que ela tinha com a sua filha na torre, mas não disse nada, comprou vários dos tapetes, e depois da jovem ter ido embora, falou com a rainha sobre a semelhança daquela rapariga com a filha deles, e por isso decidiram chamar a jovem novamente para a conhecerem melhor.

A jovem artesã ficou com receio daquele convite, o que o rei e a rainha queriam dela?

Mas ela lá foi, e eles fizeram-lhe muitas perguntas, até que ela falou da troca que havia feito há vários anos com a Sara ,mas os reis não acreditaram nela, apesar de ela jurar que era tudo verdade, então a rainha teve a ideia de chamar a fada verde, só ela poderia tirar todas as dúvidas.

Quando a fada verde chegou, disse que a verdadeira princesa tinha uma marca em forma de flor no braço esquerdo.

A artesã mostrou o braço e lá estava a marca, os reis ficaram muito surpreendidos com aquilo, e pediram desculpa á princesa Luísa por não terem acreditado nela, mas ela não ficou zangada, no entanto pediu para libertar a Sara da torre, para que esta podesse voltar para a sua mãe.

Quando as duas se reencontraram deram um grande abraço, e ficaram muito amigas ao longo da vida, e a Sara tornou-se numa contadora de histórias, que viajava muito para partilhar as histórias que havia lido naqueles livros todos que havia na torre. O rei e a rainha perceberam que não precisariam de proteger a princesa na torre, e assim a princesa viajava com frequência para regiões longínquas para vender os seus tapetes, e muitos anos mais tornou-se numa rainha artista muito conhecida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:21



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D