Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The book of stories

The book of stories

Qui | 18.07.19

O mundo é uma enorme fralda, ou o dia em que fui parar a um estranho grupo de facebook

Elisabete Pereira

diaper-312167_1280.png

 

Eu adoro desenhar, desde que me lembro que sempre fui desenhando (até em terra e areia), e embora não tenha nenhuma formação específica em desenho, até acho que nem desenho muito mal (além disso gosto de ir aperfeiçoando a minha técnica, vendo tutoriais em video ou pesquisando na internet). Bem, há cerca de um ano atrás tive necessidade de obter um rendimento extra e por isso inscrevi-me num grupo de emprego no facebook, criei um anúncio por lá e é certo que tive algumas propostas para ganhar um extra (mas era essencialmente vendas de produtos cosméticos e afins), até que alguém me propôs fazer uma espécie de Banda Desenhada para um grupo do qual ele fazia parte, no entanto seria de graça, acabei por aceitar porque era uma boa oportunidade para mim para ganhar experiência e criar um portfólio, e a partir daí ter novas oportunidades de trabalho no género. Essa pessoa então adicionou-me ao grupo em questão, e até aí tudo bem, durante uns dias nada aconteceu, até que começo a receber notificações por parte do messenger do facebook, e vejo que vem desse tal grupo, juro que nada me preparou para aquilo que iria ver em seguida...percebi que tinha ido parar num grupo de pessoas adultas que gostam de usar fraldas, e até tudo bem, afinal cada um faz o que quer na vida, desde que não prejudique ninguém, o problema é que não consigo "desver" aquelas fotos, e que até hoje povoam os meus pesadelos, e claro percebi na hora que tipo de ilustrações a pessoa queria que eu fizesse e pensei que não iria ser se calhar uma boa ideia começar a criar um portfólio sobre tal tema, e por isso, cobardemente saí desse grupo de forma discreta. A pessoa que me convidou para o tal grupo ainda esteve uns tempos a tentar ver se me convencia, mas fui inventando desculpas, até que mais tarde lhe disse que não iria fazer a tal banda desenhada. Hoje quando penso nisso dá-me muita vontade de rir por causa do lado caricato, mas naquela época pensei para os meus botões que nunca iria falar disto a ninguém, tal a vergonha que senti do género " é óbvio que este tipo de coisas só me acontecem a mim!".

Mas pronto, como diz o outro "vou juntando todo o estrume, e um dia uso para estrumar o meu jardim...ou então escrevo um post no blogue".

Sex | 05.07.19

Aprender está disponível á distância de um clique

Elisabete Pereira

A primeira vez que vi um computador, eu tinha cerca de 4-5 anos, e foi amor á primeira vista, eu queria uma coisa daquelas na minha vida, mas só aos 14 é que realmente tive um. Nessa época ganhei num concurso escolar, a possibilidade de fazer um curso de informática completamente gratuito durante 3 anos, mas infelizmente acabei por não o poder fazer.

debby-hudson-asviIGR3CPE-unsplash.jpg

 

Enfim, a vida foi andando, e anos depois o meu velhinho pc com o windows xp começou a engasgar, na altura estava desempregada e tinha mais tempo livre, e então procurei várias versões linux para ver a que melhor encaixava no meu computador, encontrei uma baseada no Ubuntu (mas mais leve) e até hoje o meu computador funciona bem, um pouco lentinho, mas funciona ( quase 16 anos), e foi ai que descobri o terminal do linux ( poder escrever linhas de código para instalar coisas no computador foi quase viciante), o bichinho da informática continuava cá dentro, mas eu não tinha possibilidade de pagar um curso, e muito menos ir para a Universidade. Entretanto comecei a trabalhar num restaurante e deixei essa ideia para trás, durante um tempo as coisas andaram adormecidas...mas um dia foi procurar cursos online, e encontrei um curso de informática que me chamou a atenção no site da Udemy (que tem uma imensidão de cursos), além disso estava com uma grande promoção, decidi aproveitar e é por isso que há algum tempo estou um pouco sumida daqui, é que entre trabalho e estudo, sobra basicamente tempo para dormir e só, mas mesmo assim estou a adorar poder estudar algo que gosto, e quem sabe, pode ser útil para mim no futuro. Por isso, se colocar um texto aqui de vez em quando, não é porque desisti do blogue, é porque ando ocupada...mas, volta e meia irei arranjar um tempinho para escrever aqui. Quem sabe, se o meu exemplo poderá sirvar de inspiração para outras pessoas poderem estudar também, há cursos bons na internet, e por bons preços (alguns até de graça), difícil é escolher.