Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The book of stories

The book of stories

Sab | 10.03.18

Um anjo especial

Elisabete Pereira

artflow_201803092352.png

 

De porte imponente no jardim da grande cidade 
ergue-se bela figura tornada realidade
Suas asas de ouro refletem a luz com intensidade
Na mão direita, segura uma espada com joias cravejadas, 
na esquerda duas estrelas de latão em dourado pintadas

Mas um dia grande tempestade se abateu E a bela estátua em milhares de pedaços se converteu. Foi grande a tristeza, mas rapidamente a dor desapareceu. Com o passar dos anos o povo esqueceu Que uma bela estátua, ali permaneceu. Num dia de Natal, pobre criança que por ali brincava Viu que no meio da folhagem algo cintilava. Duas estrelas encardidas de latão, era o que lá se encontrava Muito feliz com seu achado, para casa correu E uma das estrelas ao seu irmão ofereceu. E disse-lhe, que afinal o Pai Natal, deles não se esqueceu Ele apenas, as prendas deles ,naquele jardim escondeu.
Qui | 08.03.18

Dizem que hoje é dia da mulher...

Elisabete Pereira

WCM0002.jpeg

 

Pessoalmente para mim hoje é um dia igual a tantos outros, sem nada de especial (ainda por cima está a chover, coisa que eu "adoro"), mas como é obvio há quem aproveite este dia para fazer mais uns cobres, afinal de contas vivemos numa sociedade de consumo rápido, e desde as lojas que fazem descontos para as "mulheres", até á programação da TV e das rádios que giram sobre o tema do dia da mulher,  (até eu, que estou a escrever este post) claro está que não os podemos culpar de todo, porque quem não segue a corrente é esquecido. Mas e amanhã? Amanhã será mais um dia em 364 que a mulher será esquecida como um todo, será apagada a sua importância na sociedade, será vista como aquela que por usar um vestido curto será assediada por um tipo qualquer que se achará no direito de mandar bocas sujas, porque " com aquela roupa, ela estava mesmo a pedi-las, toda a gente sabe quando elas andam quase despidas os homens não se controlam" (desculpem por dizer esta novidade...mas as mulheres andam como querem, não por vossa causa "os homens", mas porque elas querem andar assim, sei que isto pode ser mesmo chocante,não? Não!!)

Quando no trabalho um colega, se acha no direito de importunar uma mulher, porque esta está solteira, e por isso deveria até "se sentir lisonjeada" por ser assediada por ele, e assim como quem não quer a coisa, vai passando a mãozinha aqui e ali, de forma quase imperceptível, (porque este tipo de, chamemos de "homens" consegue apenas abordar uma mulher assim, o seu pequeno cerebro não dá para mais) muitas vezes o patronato sabe deste tipo de coisas, mas fecha os olhos, afinal "não é nada de grave".

Aquele fulano que mal te conhece ,mas pensa que sabe tudo sobre ti, que diz que está tudo bem, que com ele estás protegida, que diz aquilo que uma mulher quer ouvir, para no fim apenas se aproveitar dela, e deitar fora, e continuar novo ciclo com outra mulher. (Deixando para trás uma mulher com problemas na auto-estima, porque esta confiou em quem não devia)

Quando uma mulher sai á noite para se divertir, e de repente chega um tipo a aborda-la de um jeito agressivo, e quando esta diz "Não!!", corre o risco de ser agredida.

Quando muitas vezes, as mulheres que são mães, acabam por ser discriminadas no mercado de trabalho, ou aquelas que pensam em ter filhos, e durante uma entrevista de emprego se o empregador pergunta se ela quer ter filhos, e esta responde que sim, é praticamente descartada,porque se vier a ser mãe vai dar demasiado prejuízo á empresa(como é possivel em pleno século XXI ainda se quererem meter na vida pessoal de uma mulher, a mulher ainda hoje não tem direito ao seu proprio corpo, á sua propria intimidade, pode parecer exagero, mas é verdade)

E nisto eu poderia incluir tanta coisa...

O motivo de eu ter escrito mulher com letra minúscula, é porque no fundo este dia não vai fazer diferença nenhuma, porque amanhã continuará tudo igual...mas ainda assim, eu acredito que devemos continuar a lutar para conquistar o direito de dizer " Não" a todas estas situações, a não ter de aceitar todas estas humilhações e discriminações.

Seg | 05.03.18

Ai ai, a chuva....

Elisabete Pereira

craig-whitehead-280825-unsplash.jpg

...bem, eu sei que ela é necessária, mas isso não signifiva que eu tenha que gostar dela, e então quando há vento á mistura, estão criadas as condições para uma pessoa ficar completamente encharcada, pessoalmente não me agrada muito andar a lutar com o meu guarda-chuva porque o vento se lembra de mudar de direcção de cinco em cinco segundos, e no fim vence a chuva, ou porque lá se vão as varetas do guarda-chuva, ou porque por muito que tentemos acabamos sempre molhados.

Já estamos quase no fim do Inverno, embora não pareça, e a minha paciência para com a chuva já não é das melhores, mas para me alegrar um pouco decidi fazer umas rimas sobre a chuva:

 

Lá vai um guarda-chuva a voar

Com as varetas viradas ao contrário

Coitado do senhor que não para de barafustar

É normal, está mais encharcado que um canário!

 

As pessoas andam todas encurvadas

Com as mãos a tapar a cabeça

Não vêm é que os carros deslizam sobre enormes poças

dando-lhes um banho de surpresa!

 

A senhora do quinto esquerdo está muito agradada

Realizou o seu sonho de ter piscina em casa

Nem precisou de gastar dinheiro

Tem a sua garagem inundada.

 

(Pronto, acho que agora já acalmei um pouco do azedume que tenho para com a chuva)

Dom | 04.03.18

Batalha final...morte e renascimento

Elisabete Pereira

artflow_201803031810.png

 

Quando chego ao fim de mim mesma...

Quando sinto que nada mais tenho a perder...

Quando todos os que amo desapareceram...

Porquê lutar? Por quem lutar?

Lutar já não faz sentido.

Finalmente compreendo....todo o mal que enfrentei...tudo aquilo, era apenas por um só motivo...Eu...Eu fui o motivo de tudo isto...

Eles apenas procuravam o mesmo que eu procuro naqueles que amo. Somos estrelas solitárias...num universo imenso, eles procuravam a minha luz, da mesma maneira que eu procurava o amor naqueles que me são próximos.

Porque as trevas buscam a luz, e a luz é atraída pelas trevas...

Eu acredito na esperança de abraçar o

todo...Com o meu poder, tenho a certeza que irei conseguir...E mesmo que eu me desvaneça no mar da origem...Todos somos irmãos, todos temos a mesma origem.

Em algum lugar,o futuro irá acontecer...Eu cheguei até aqui, porque assim é o meu destino.

Sera a minha vez de usar a foice da morte?

Destruir não é opção, pois se o fizer não haverá futuro...

E eu farei um novo futuro para aqueles que amo...todos nascem das estrelas, enquanto elas brilharem, nunca desistirei.

Não perderei, porque haverá sempre esperança e renascimento. 

Pág. 2/2